Frango fácil ao curry

IMG_20170327_133100293.jpgSempre que experimento uma receita que agrada todos os paladares eu penso em cada pessoa que curte esse baú…

E com esse frango não foi nada diferente!!! Minha filha encontrou a receita  no pinterest e como se apresenta como “frango fácil”, captou minha  total atenção.

Uma receita muito simples de executar, tendo ou não a sua thermomix.

O cheiro é tão bom, mas tão bom, que não queremos sair da cozinha durante o preparo!!!

Quando preparei  pela primeira vez para 5 netos de 8 anos para baixo, todos, sem excessão comeram toda a comida do prato sem reclamar nada!!!!

Uma receita para ser feita sempre que esteja sem tempo, sem inspiração e com pessoas que curtem refeições cremosas!!!

Frango fácil ao curry

Ingredientes:
40g de manteiga, azeite de oliva, óleo de côco ou ghee
3 pimentas chili (usei dedo de moça sem sementes)
20g de gengibre descascado
200g de cebola
20g de alho
20g de coentro fresco ( eu uso muito mais!!!)
2 colheres de chá de cominho moído
2 colheres de chá de curry
1 colher de chá de cúrcuma em pó
120g de caldo de frango
80g de massa de tomate
500g de iogurte natural

700g de frango sem pele nem osso ( uso peito)
Sal,se julgar necessário
Coentro fresco para servir

Modo Thermomix de preparo:
1- Coloque no copo da Thermomix a celola cortada ao meio, as pimentas, o alho, o coentro e o pedaço de gengibre. Tampe e leve a velocidade 5 por 10 segundos. Baixe o que ficou nas paredes.

2- Acrecente a manteiga, tire o copo medida e programe 6 minutos, temperatura varoma, velocidade 2.

3- Acrescente o cominho, o coentro em pó, a cúrcuma, e o curry, tampe e sem o copo medida programe 3 minutos, temperatura varoma, velocidade 2.

4- Acrescente o caldo e a massa de tomate tampe dessa vez com o copo medida e programe 5 minutos, temperatura varoma, velocidade 1.

5- Acrescente o frango e o iogurte e programe 22 minutos, temperatura varoma, velocidade 1.

6- acrescente o coentro fresco picado, se quiser.

Sirva com arroz ou pão pita.

Modo de preparo na panela, sem Thermomix:

1- Pique a cebola,as pimentas, o alho, o gengibre e o coentro.

2- Refogue esses temperos por uns minutos, com cuidado para não queimar.

3- Acrescente o cominho, o coentro em pó, a cúrcuma  e o curry e refogue mais um pouco.

4- Acrescente o caldo e a massa de tomate e deixe ferver.

5- Acrescente o frango e o iogurte, misture bem, e deixe ferver. Baixe o fogo e deixe cozinhar por 22 minutos.

6- Acrescente o coentro fresco picado, se quiser.

Sirva com arroz, ou pão pita!

Como não podia deixar de ser, fiz umas alterações…

Alteração 1– Como não uso massa de tomate e tenho molho de tomate feito para o ano, utilizo 200g de molho de tomate caseiro.

Alteração 2– Quando não tenho caldo caseiro de frango, deixo sem… Mas não uso industrializado…

Alteração 3– Acrescento biomassa de banana verde para melhorar a consistência, melhorar a flora intestinal, e dar uma sensação a mais de saciedade.

Alteração 4– Quando o curry é muito apimentado ( eles nem sempre tem a mesma proporção de pimenta) , eu nem utilizo pimenta.

Alteração 5– Uso uma pitada de pimenta do reino para aumentar a absorção da cúrcuma pelo organismo.

Detalhes: Se tiver como moer a cúrcuma, o cominho em grão, a pimenta do reino, o coentro em grão em casa, vai ter um prato ainda mais aromático!!!

Claro que pode ser feito sem thermomix, mas com ela fica muito, mas muito mais fácil.

É nela que eu moo meus temperos e o cheiro é completamente diferente!!!!

A foto, ainda fico devendo…

E se quiser conheçê-la terei o maior prazer em apresentar para vc, ao vivo, por Skype, Messenger, Whatsapp ou Telegram. Deixe sua mensagem que entro em contato.

Anúncios
Publicado em Dicas, experiências, Receitas, Thermomix | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Leites vegetais com textura

IMG_20160309_211110153Leites vegetais tem sido objeto de muitas publicações na internet de uns tempos para cá.
E para responder a pergunta que pode estar em sua mente, eu digo: “Não, eu não tenho intolerância à lactose.”

Então, por que não tomar leite de vaca?
Apesar de ser apaixonada por leite, e talvez por isso mesmo, percebi que eu estava abusando na ingestão. Decidi fazer uma certa mudança nesse hábito, há mais ou menos um ano e meio.

Como sabem, a necessidade é a mãe das invenções, e por aqui não é diferente.

Tinha apenas 85g de sementes de girassol, mas precisava de 100g! Que fazer?

Decidi acrescentar 15g de aveia em flocos às sementes!

Procedi como de hábito, passei pelo voil, e pronto, lá estava o melhor leite de sementes que eu já havia provado!!!

E dando tratos à bola, lembrei que em se tratando das outras oleaginosas, o que eu não apreciava era exatamente a textura sem corpo , dando ao café com leite a aparência de um “chafé”!!!

Nesse momento me dei conta que se utilizasse 15 a 20% de aveia em substituição as castanhas, eu teria um leite mais encorpado, e com mais textura.

E hoje, finalmente fiz o teste que foi aprovadíssimo!

Leite de castanhas do pará ou oleaginosas semelhantes
Receita para 1,2litros de leite vegetal:

Ingredientes:
80 a 85 gramas de castanha do pará, de cajú, macadâmia ou amêndoas.
15 a  20g  de aveia em flocos, grandes ou pequenos
2 xícaras de água fria para demolhar
300 ml de água quente
900 ml de água a temperatura ambiente

Modo de fazer:
Deixar de molho por no mínimo 4 horas em água.
Escorrer as oleaginosas e a aveia e colocar no liquidificador/thermomix/processador, para triturar por 30 segundos (ou até que se torne um creme) em velocidade máxima.
Repita essa operação por três vezes, com 300g de água a temperatura ambiente cada vez.

Passe esse leite por um pano de voil, esprema bem  e guarde em geladeira por três dias em recipiente de vidro de preferencia.

Se voce está a procura de um substituto digno do leite, sem os efeitos indesejáveis, acabou de encontrar!

E se for aprovado, não esquece de voltar ao blog e deixar seu comentário, combinado?

Publicado em Receitas, Thermomix, Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , | Deixe um comentário

Nutrientes e sabores escondidos

Alguém já provou milho doce? É doce mesmo, daqueles que se pode comer cru!!!!
Comprei trinta espigas de milho doce e ao chegar em casa, coloquei água de boa procedência para aferventá-los.

Muitas vezes prefiro usar menos água, e ferver poucas espigas de cada vez, para ter uma água mais concentrada, já que o processo de ferver as espigas para congelar é de uns 5 minutos.

Fervi todas as espigas e o cheirinho que se espalhava pela casa era simplesmente maravilhoso; dava vontade de comer o ar que saía da panela!!!

Foi aí que pensei que deveria usar aquela água para outras preparações!
Deixei esfriar,  passei numa peneira e guardei numa jarra na geladeira.

Com essa água, preparei pão, arroz, sopa de abóbora cabotiá e só não fiz mais coisas porque  acabou…

O resultado foi mesmo excelente! O sabor do milho doce se fazia sentir. Emanava da preparação e preenchia não só as aspirações gustativas, mas dava um sentimento de casa de mãe, ou de vó, ou de alguém de nossa infância.

No dia seguinte, ao cozinhar carne seca, percebi que poderia guardar o líquido do cozimento.
Retirei a carne já cozida, coloquei o líquido numa tigela e deixei esfriar. Dessa forma toda a gordura do caldo, já havia se solidificado. Retirei com uma escumadeira a gordura e descartei; coloquei o caldo em vasilhas quadradas, (que acomodam melhor no freezer). Uma vez congelado, retirei para um plástico de congelamento devidamente etiquetado, e está lá, guardado para quando se apresente a necessidade ou a vontade.

Claro que podemos usar esse artifício com toda água de cozimento de batatas, bacalhau, mandioca, legumes, ou o que quer que se tenha cozinhado na água ou mesmo no vapor.Quando o líquido for de origem animal, recomendo o congelamento. Quando for de legumes, ou verduras, pode-se deixar numa jarra na geladeira mesmo e ir utilizando na medida da necessidade.

Lembrando apenas que a água do cozimento do espinafre não deve ser utilizada, pois contém excesso de enxofre.

E se voce vier me fazer uma visita, pode ser que saia uma sopa de cabotiá com caldo de carne seca, que tal?

 

 

Publicado em Dicas, experiências, receita sem glúten, Uncategorized | Marcado com , , , | 3 Comentários

Coentro/dicas

Um dos temperos que eu mais detestava era o bendito coentro!!! o Cheiro dele assemelhava-se ao de pano sujo quando chegava às minhas narinas!!!

Era mesmo algo insuportável!!!! E mem sei dizer quando ou o quê me fez começar a gostar. Claro que alguns amigos baianos me influenciaram positivamente dizendo de quão delicioso era um feijão recém cozido temperado com coentro e outras histórias mais.

Claro que os mexicanos com sua guacamole também tiveram um papel decisivo nessa mudança de paladar. Mas o golpe fatal veio mesmo quando provei o vinagrete de tomates e coentro!!!

E apesar da nova paixão pela erva, bateu forte a preguiça de usar o tempero. E sabe por que? Porque ele se estraga com tanta facilidade que fica complicado lavar e picar para ser utilizado.

Mas isso também ficou no passado, quando percebi que minimizaria a perda se organizasse o(s) maço(s) já no dia da compra.

Percebi que é um tempero sensível, e que se estraga quando amarrado como um maço de salsinha, por exemplo!

E desde então, passei a utilizar a técnica de organizar os maços antes de levar a geladeira.

Primeiro, desmanche o maço.
Retire todos os galhinhos que estejam escuros, feios ou amassados.

IMG_20160109_162624012~2
Arrume o maço de modo a ter um espaço entre o talo e o início das folhas.
É nesse espaço que se prende um elástico ou barbante, apenas para manter o maço preso, sem apertar demais.
Se tiver raízes, prenda o elástico pelas raízes.IMG_20160109_162807497~2-2

Se tiver tempo  e quiser deixar lavado, só precisa ter uma maneira eficiente de  tirar toda a água que acumule entre as folhas e caules, para evitar que se estrague.
Depois de lavado e seco,  já refeitos os maços, guarde num zip na geladeira.

IMG_20160109_163156560~2

E quando bater aquela vontade de comer algum diferente, apenas corte umas folhas e caules sobre uns pedaços de tomate e coma com pão!!! E azeite de oliva, óbvio!!!!!

Isso, se é que vc gosta de coentros…

Publicado em Dicas, experiências, Uncategorized | Marcado com , , | Deixe um comentário

Iogurte Grego

Dias atrás, fui ao supermercado e fiquei espantada com a imensa variedade de iogurtes gregos!!!

Tenho que confessar que só me interessei por esses iogurtes quando uma amiga com filho pequeno, em fase de aprender a se alimentar sozinho, me perguntou sobre o assunto.

Na ocasião, imaginei que ela estivesse se referindo a coalhada seca, mas descobri depois que o dito cujo era apenas um iogurte mais encorpado, menos líquido e que não escorreria da colher ao ser manuseado por crianças nessa fase.

Claro que o marido comprista, tinha que experimentar, e assim, através de uma amiga e do marido, iniciei-me nessas artes.

Fiquei espantada de perceber que, pelo menos nos mercados próximos à minha casa, todas as marcas pesquisadas, já contém açúcar ou adoçante! E isso sem falar naqueles com sabor (natural????) de morango por exemplo.

Uma das filhas, que tem três vorazes consumidores de iogurte, iogurte grego e coalhada seca, comentou que preparou em casa a receita simplificada, isto é, aquecer o leite a 40 graus, misturar um copo de iogurte natural, abafar e esperar 8 a 10 horas para fermentar. Gostei da ideia. Menos trabalho, menos tempo, enfim, digno de ser provado.

Provado, mas não aprovado, pelo menos por mim… Preparando dessa forma ficou líquido, em nada parecido com o resultado aqui exibido.

Para ilustrar, uma foto sem filtro nem fotoshop do iogurte ainda morno.IMG_20160303_233615739

Foi para a geladeira, e na manhã seguinte, a textura era essa:

IMG_20160304_103418749~2

Depois de 4 horas dessorando através de um pano de prato, obtive, além de 1,2 litros de iogurte natural, essa  tigela de iogurte grego!

IMG_6552

Isso mesmo,  nada menos que 1585g de iogurte grego!!!!! Já descontado o peso da tigela!!! Sem açúcar!!!!

E para quem quer ver a consistência, só tenha o cuidado de não babar no seu teclado ou celular…

IMG_6550

Para fazer na Thermomix Quinta geração TM5:

Coloque no copo até 2 litros de leite, programe 90Graus, 15minutos, velocidade 3.
Em caso de usar apenas um litro de leite, diminua o tempo para 9minutos.

Quando terminar, leve o leite quente para uma vasilha de vidro, e espere esfriar ou chegar a 40 graus.

Proceda  como na receita automática que aparece na tela do seu robô. E ao fim de oito horas sua máquina emitirá um aviso sonoro mostrando que seu iogurte está pronto.
Coloque um pano de prato sobre a varoma e a varoma sobre uma tigela para captar o soro, já que com esse soro se prepara pães, massas e bolos.
Deixe dessorar por 4 horas. Se desejar um iogurte menos ácido, ou morar em lugar quente, deixe dessorar na geladeira.

Para fazer na Thermomix 31:

Coloque no copo até 2 litros de leite, programe 90Graus, 15 minutos, velocidade 3.
Em caso de usar apenas um litro de leite, diminua o tempo para 9minutos.
Quando terminar, leve o leite quente para uma vasilha de vidro, e espere esfriar ou chegar a 40 graus. Acrescente o iogurte natural e  misture por 30 segundos a velocidade 3.
Leve para abafar por 8 a 10 horas.
Coloque um pano de prato sobre a varoma e a varoma sobre uma tigela para captar o soro, já que com esse soro se prepara pães, massas e bolos.
Deixe dessorar por 4 horas. Se desejar um iogurte menos ácido, ou morar em lugar quente, deixe dessorar na geladeira.

Modo convencional, sem thermomix, com auxílio de um termômetro:

Leve até 5 litros de leite para aquecer até que a temperatura atinja 90graus. De preferência, mexendo porque leite tende a queimar e transbordar em fogo alto.
Espere esfriar até os 40 graus, e misture com uma colher de pau um copo de iogurte natural.
Abafe numa caixa, sacola ou geladeira de camping, térmica por 8 a 10 horas.
Coloque para escorrer sobre um pano de prato sobre uma tigela ou pirex por 4 horas.
Se desejar um iogurte menos ácido, ou morar em lugar quente, deixe dessorar na geladeira.

Isso tudo sem contar que a preferência da galera por aqui, é com açúcar mascavo, quando consumido fora das refeições.
Ou com azeite de oliva e sal  ao ser consumido com um belo prato de arroz integral, feijão fresquinho e um vinagrete de coentros…
Precisa se mais algum acompanhamento? Pelo menos para eles, não precisa!!!

Sobre  a diferença de custos, conversamos noutro post, ok?

Publicado em Dicas, experiências, Receitas, sobremesa, Thermomix, Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , | 4 Comentários

Pesto de folha de rabanete

IMG-20160307-WA0002

 

Muita gente que por aqui anda, já teve a experiência de degustar ou preparar um pesto genovês. Ou quem sabe já teve a experiência de tentar comprar um. Digo tentar porque não é em todo supermercado que se encontra. Ou nem sempre nosso bolso estará preparado para o preço que custa um pequeno pote.

Por isso, venho partilhar essa receita de ingredientes simples, ( já que o manjericão nem sempre encontramos), saudáveis e fáceis de encontrar.

Verdade seja dita, aprendi essa receita no blog La Cucinetta, grande fonte de inspiração!!!!

Pode ser consumido com massa, como tempero de salada,  ou simplesmente degustado com o pão de sua preferência, como antepasto. No entanto confesso que certas  horas dá vontade de comer de colherinha!!!!

Como tudo o  que publico aqui, essa receita pode ser preparada no modo convencional, utilizando fogão, panela  e um processador de alimentos, ou liqüidificador, ainda que seja menos trabalhoso se preparado numa Termomix. Por isso, descrevo os dois modos de fazer: o  modo convencional e o modo thermomix.

Para os ingredientes  fica a sugestão de quantidades, mas nada nos impede de utilizar mais ou menos de alguns deles.

Ingredientes:
25g de parmesão
2 dentes de alho
Folhas de rabanete aferventadas (as folhas de um maço de rabanete)
Um punhado de castanhas de caju, castanha do pará, pinole ou uma oleaginosa de sua preferência
sal a gosto
Azeite de oliva o quanto baste ( Mais ou menos uma xícara)

Modo de fazer

1-Método convencional
-Rale o parmesão e reserve.
-Leve meio litro de água para ferver numa panela e afervente as folhas de rabanete por 3 a 5 minutos. Escorra as folhas apertando bem para tirar o máximo de água possível.
-Num processador, coloque os alhos, as castanhas, as folhas de rabanete e o sal e ligue até que esteja tudo bem triturado.
-Baixe a velocidade do processador, e vá acrescentando o azeite de oliva.
-Acrescente o  parmesão ao pesto.

2-Método Thermomix
-Pese o parmesão em pedaços, rale com uns 5 toques de turbo, programe 15 segundos, velocidade 8 e reserve.
-Leve meio litro de água para ferver no copo da Thermomix, 5 minutos, 100 graus, velocidade 1. Terminado esse tempo, acrescente as folhas  do rabanete ao copo e programe outros 5 minutos, 100 graus, velocidade 1.
-Escorra as folhas apertando para eliminar o máximo possível da água.
-Acrescente o alho, a castanha, as folhas fervidas e o sal e programe 15 segundos velocidade 8 para triturar.
-Quando estiver bem triturado, baixe a velocidade para 5, e vá despejando o azeite aos poucos.
Misture o parmesão ralado e verifique o sal.
Acondicione em vidro esterilizado, e se necessário, coloque um pouco de azeite para cobrir a superfície do pesto, para melhor conservação.

Conserve em geladeira. Gostou?

Publicado em Dicas, receita sem glúten, Receitas, Thermomix | Marcado com , , , , , | Deixe um comentário

Microondas, novas funções

Meses atrás, me deparei com um artigo que falava sobre colocar roupas no microondas. Mas desanimei quando pensei nos botões metálicos, e zíperes das calças jeans soltando faísca dentro do meu microondas. Abandonei a idéia e nem pensei mais nisso.
Até que, uns poucos dias atrás, encontrei usos grandes e nobres para o meu forno de microondas!!!
E sabe qual?

Quarar no microondas!!!!!! Desencardir panos de prato, meias, camisetas e pano e esponja de pia!!!! Realmente uma grande sacada, que confesso não foi minha idéia…

Tarefa simples: Molhe a peça encardida e esfregue ligeiramente com um sabão em barra. Coloque num saco plástico, e deixe uma pequena abertura para a saída do vapor. Leve ao microondas, pode ser sobre um prato, em potência alta por um minuto e meio.
Deixe o calor agir, e quando abrir o saco ou sacola ( que pode ser de mercado mesmo) dê uma leve esfregada na peça.
Logo que abrir o pacote, perceberá parte da gordura que manchava a peça, dissolvida na água… Mas tenho certeza que quando torcer a peça para tirar o excesso da água ficará tão impressionado(a) quanto eu mesma fiquei!!!
O resultado realmente não pode ser descrito, mas experimentado!!!!
Então, fica a dica para vc que deseja panos de prato limpos, mas não tinha paciência nem perseverança para mantê-los assim!!! Um pedaço de sabão em pedra num potinho na cozinha, e um e meio minuto de microondas!!!
Gostou???

Publicado em experiências, fora da cozinha | Marcado com , , , , | 1 Comentário